terça-feira, 4 de agosto de 2015

AS CRÍTICAS DO HUMORISTA EDUARDO STABLISH À IGREJA CRISTÃ


                                              Resultado de imagem para EDUARDO STABLISH

Pastores ladrões. Presbíteros passando cheques sem fundo na praça. Pastoras transantes. Cantores "gospel´s" ostentando fortunas em meio a pobreza e irmãs transando com os seus pastores e depositando as gravações no whatsupp em nome da vingança... E esse é o cenário em que se encontra a Igreja protestante atual.

Mas, o nome da igreja protestante nunca foi só incoerência. Pois, a mesma também tornou-se famosa, desde a antiguidade, por transformar a vida das pessoas para a melhor, haja vista que os objetivos da Igreja, na sociedade antiga ou atual, são: transformar a vida machucada das pessoas por uma realidade cruel, sangrenta e desigual e reinserir as pessoas à sociedade de modo transformado, educado e enxergando o próximo através dos óculos do amor de Jesus.

O problema é que a igreja cristã vem sofrendo alterações ao decorrer de toda a história, em todo mundo e, isso podemos enxergar, na atualidade. Tais mudanças podem ser compreendidas por conta do mal exemplo que os próprios membros dão às suas instituições religiosas e ao outro. E, por isso, a Igreja cristã tem demonstrado todas as suas garras; menos o acolhimento do "ame ao próximo como a ti mesmo", como ensinou Cristo Jesus.

Por conta de toda essa bagunça demonstrada pelas igrejas evangélicas, surgem os críticos e, inevitavelmente, as críticas. Algumas leves. Outras bem pesadas. A crítica pesada fica, por incrível que pareça, à cargo do programa pânico na Band - Programa de humor que vai ao ar aos domingos; às 9:15 da noite.

Sobre a responsabilidade do humorista, Eduardo Establish, a personagem PODEROSO ganhou vida e conquistou o coração dos amantes do programa Pânico. O PODEROSO tem a sua própria Igreja, é um pastor irreverente, tem como cooperadores mulheres seminuas, o diabo como companheiro e uma platéia de pessoas que amam o prazer, a bagunça, a extravagância e a vida tal como ela é - dionísiaca!

Por demonstrar a igreja cristã com essa cara, o programa pânico foi alvo de duras críticas por parte de alguns religiosos. No entanto, o programa - em relação a maioria dos críticos cristãos - entendeu, esclareceu e jogou em nossas caras, os problemas que envolvem a igreja cristã da atualidade. É vergonhoso?

A pergunta que Eduardo Establish, por meio da Igreja do Poderoso, nos faz é: "se a igreja que outrora era digna de respeito e agora está uma bagunça, por que não demonstrar toda essa bagunça em forma de arte, crítica e humor?".

O humorista, antes de todos e claramente, compreendeu que a igreja de cristo perdeu o respeito que construiu há tempos atrás e afundou-se em tantos problemas dos quais não consegue recuperar-se mais.

Para os amantes do cristianismo puro e complexo basta aceitarmos as duras críticas teatrais, encararmos os problemas da igreja de frente e objetivando, portanto, as mudanças ensinadas por Cristo em relação ao próximo. Certo?

Mas, amar o próximo não é passar cheques sem fundo. Não é ser vingativo. Não é depositar vídeos no whatsupp em nome da raiva, ódio ou vingança. Enfim, não é ferir o outro em nome do próprio prazer!

Nenhum comentário:

Postar um comentário