quinta-feira, 13 de novembro de 2014

CINEMA, IGREJA CATÓLICA E ANABELLE

         De acordo com a história da fantasmagoria, qualquer fenômeno paranormal que ocorresse fora do campo da normalidade na história das sociedades - antigas ou modernas -  notava-se a presença da Igreja católica para controlar e solucionar tais fenômenos.
       No entanto, tais atitudes deixaram de ser um fato e uma verdade na atualidade,  visto que a Igreja católica tem demonstrado menos rigor e mais diálogo, menos autoritarismo e mais liberdade no que diz respeito a alguns assuntos que outrora, sequer mencionava! Por exemplo,  torna-se mais frequente, por parte da Igreja, as discussões sobre homossexualidade, sobre pedofilia,  sobre o casamento de casais não abençoados/ reconhecidos/ ungidos diretamente pela Igreja. Sem contar  o frequente diálogo e uso dos veículos de comunicações modernos, tipo Twitter, Facebook, Skip entre outros; que outrora era um assombroso fantasma que lhe ameaçava.
        Devido a esses posicionamentos liberais da Igreja Católica,  sobretudo por Parte do atual Papa Francisco, diz-se que a Igreja Católica está perdendo a sua autoridade religiosa, conquistada ao decorrer dos séculos,  em relação aos fieis mais conservadores. Pois a Igreja - ao que parece - está passando por um processo de revolução onde paradigmas antigos estão sendo quebrados para que a Igreja receba roupas novas e "limpas".
      Não seria incorreto esperar que essas discussão migrassem para outras áreas da comunicação e formação de opinião - no caso, o Cinema. 
      A perda de autoridade da Igreja Católica não se restringe somente à opinião dos fiéis mais fervorosos, mas, também, aos  cineastas que - sutilmente - propõem tais discussões acaloradas em seus filmes.
       Essa foi a ideia do diretor  John R. Leonetti, junto de seus amigos e produtores James Wan e Piter Safran - cujo trabalho rendeu muito dinheiro e alcançou os topos das bilheterias, inclusive, no Brasil - no filme de terror Anabelle. Para clarear mais as ideias sobre o filme, segue a sinopse do filme escrito por ADOROCINEMA: Um casal - Mya e John – prepara-se para a chegada de sua primeira filha e compra para ela uma boneca. Quando sua casa é invadida por membros de uma seita, o casal é violentamente atacado e a boneca, Anabelle, se torna recipiente de uma entidade do mal.
       Como toda sinopse - propositalmente - não informa-nos muito. Por isso, é necessário seguir ao cinema e assistir o filme. Sendo assim, onde estaria, portanto, a discussão acalorada proposta pelo filme? Ela está no fato de que não é mais a Igreja Católica que acaba com o mal em ambos os filmes - Invocação do mal e Anabelle -, mas, sim, um casal de paranormais.
       Os produtores, por sua vez, queriam demonstrar, ocultamente, que o poder, a autoridade da Igreja Católica, está se perdendo? Que não cabe mais a Ela o poder de lutar contra o mal, contra o Diabo? Que não cabe mais a Ela o poder de discernir o que é o bem e o que é o mal? 
       É importante compreender que tal resposta não é fácil, muito menos simples. Por isso mesmo, será escrito aqui apenas o que nos transmiti o filme. Portanto, o mesmo nos conduz a  sutíl ideia de que a Igreja Católica não tem mais autoridade, muito menos espiritual!

Nenhum comentário:

Postar um comentário