quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

DEUS: CRIADOR OU CRIATURA?

Deus, fruto de um momento!
Max William

O cristianismo, o budismo, o islamismo e todas as outras religiões vivas consideram a existência de Deus de modo inquestionável. No entanto, penso que seja necessário investigar – mesmo de modo simples - o conceito DEUS. Pois, as religiões o expõem como existente, consistente e o fundamento do mundo. Entretanto, agora e tão somente agora é o momento de dar um passo atrás e investigar o conceito DEUS por meio de informações extraídas da vida e tendo como base a seguinte pergunta: qual a razão para que DEUS se faça presente na vida humana?

No dia 13 de Janeiro, o programa de televisão HOJE EM DIA - da Rede Record de Televisão - exibiu uma reportagem sobre cidadãos brasileiros que sofreram, sofrem e poderão sofrer com a doença câncer. E o que a mesma pode causar em suas vítimas. De acordo o que foi exibido pela reportagem, os sintomas da doença são variados. Entre eles há depressão, solidão, desespero, arrogância e carência.

Há posicionamentos contrários, mas a doença é uma da grande catapulta para se chegar a DEUS ou para desejar o GRANDE SER. Isso porque o indivíduo doente não gostaria de passar por tal problema de saúde. Mas como tal fator não depende apenas de si mesmo, foge de si em busca de refúgio. Seja para curá-lo ou - caso a primeira opção não ocorra - para ter uma vida de paz além de nossa simplória existência. 

Nesse sentido, Deus nasce da negação brutal da doença. Deus se faz presente a partir das doenças. Deus se faz existência a partir da solidão. Talvez esse primeiro pensamento seja apenas um exemplo para a resposta da pergunta acima.

Entretanto, Deus não nasce ou se faz existência somente a partir do desespero, da doença. Mas também do momento de alegria. Para deixar o ano de 2013 e adentrar ao novo ano de 2014, resolvi – junto de minha noiva – ir ao sítio de seus pais localizado na cidade de Ibiúna – interior de São Paulo.

Diferente da grande São Paulo, Ibiúna quase não tem poluição. Assim, pode-se visualizar o céu limpo pelas manhãs e sentir o vento soprando de lá para cá. Aliás, quase toda a tarde pode-se desfrutar de uma paisagem linda e que se renova dia-após-dia. Em alguns dos dias que estive no interior, deparei-me com uma paisagem de abrir a boca. O dia estava fresco, as nuvens estavam como que explodindo no céu com uma mistura de cores que encantava qualquer pessoa. Sendo assim, floresceu a seguinte pergunta: como isso aconteceu, de que modo todas essas coisas se formaram? Que mistério! Isso é coisa de Deus?

Não se pode afirmar que toda essa beleza é fruto das mãos de Deus. Porém, também não é possível dizer que não é!
 
O fato é que Deus se fez presença e existência naquele momento - como em tantos outros. Talvez essa seja uma segunda razão para responder a questão por que DEUS se faz presente na vida humana?

Distante dos momentos de dor e de alegria, há momentos que a presença do Ser sobrenatural brota e com muita força para alguns.

Fui a poucos funerais. Da para contar nos dedos de uma única mão. Dentre os poucos, fui ao velório de meu biológico pai. Fiquei horas naquela sala e me notei frio, chorando e assustado. Não sabia qual a razão daquela mistura de sensações, pois durante toda a minha infância não tive contato com aquele ser pálido que repousava naquele esquife marrom.

No entanto, das mais variadas lembranças que tenho desse funeral, é a pergunta: para onde ele vai agora? Não conseguia responder – assim como a maioria dos indivíduos não conseguem respondê-la na atualidade. Pois responder a pergunta para onde vamos(?), é um problema tão antigo quanto o mundo. O fato é que devido aquele problematico momento, deparei-me com mais uma pergunta: será que há algo depois da morte? Será que há realmente o papai do céu que tantos falam?

Em mais um simples-problemático momento – como em tantos outros – o Ser sobrenatural se apresentou, se fez presença e existência para a vida. Para a minha vida. Ou, se pode pensar, caro leitor, que o ser sobrenatural cujo conceito é DEUS ganhou vida devido à dor, à alegria e ao desespero despertado por momentos da vida de muitas pessoas, inclusive da minha? Portanto, DEUS é criador ou criatura? Criamos Deus devido aos momentos de fracasso, alegria e espanto? Ou Ele se apresenta a nós por meio desses e outros tantos momentos da vida? Faça a sua escolha!

2 comentários:

  1. adorei man seu texto ... há cristão que não entenda esse dilema , mas é de se pensar , bom! Eu escolho Deus independente dos meus momentos, ou pelo o menos tendo né...rs parabéns pelo texo.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo o que escreveu, Cris.
    Ainda hoje preferimos as certezas de maneira cega, do que um pingo de incerteza!!!

    ResponderExcluir