segunda-feira, 4 de novembro de 2013

POBRES PERDIDOS.

Perspectivas inferiores; Rostos que sorriem sem sorrisos, 
sem felicidade, infelizes.

Olhares sujos; rostos sem banho e mãos sem pães.

Olhares sem residências fixas, com sacos de lixos nas mãos.

Olhares rápidos, olhares que vão de lá para cá sem serem vistos,
ouvidos, observados, sentidos.

Olhares tristes e faces sem vida.

Vida? Ela passou bem longe desses olhares, desses rostos moribundos.

Olhares "mendigantes", pedintes.

Olhares de mendigos, de pobres perdidos.

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Ninguém mais olha "olho no olho"....enxergamos apenas o "incômodo" causado pelos corpos destes "pobres perdidos". Mas pobres perdidos também somos nós... que olhamos e não vemos.

    ResponderExcluir