quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

FEIXES DE AMOR.

Caminhando na chuva em direção a casa de minha noiva, avistei uma cena linda: uma garotinha de mãos dadas com a sua mãe. 

A garotinha olhava lentamente à sua volta e - ao mesmo tempo - aos seus pés molhados. De repente, sua mãe a puxa para mais perto de si, pois o semáforo estava por fechar. 

Este é o momento. O encontro "tete a tete" com a cena que personifica o que há de mais lindo: o "aconchego" maternal. 

Paramos, eu a mãe e a menininha na faixa de pedestres - embora as mesmas não me conheciam.


Pude perceber que sua mãe estava conversando com a sua filha, aliás, não estava somente conversando. Estava lhe ensinando uma lição moral: "quem faz coisas boas às pessoas recebe coisas boas, minha filha; e quem faz coisas ruins receberá o que é ruim".

Tenho certeza de que essa mamãe não acreditara que havia um garoto no semáforo a ouvi-lá e que não concordava, tanto, com aquela lição, máxima que marcaria a sua vida para sempre.

O semáforo abriu, a mamãe e a sua filhinha foram-se por caminhos opostos sem saber que deixaram-me intrigado com a seguinte pergunta: "e quem faz o bem e recebe o mal, por exemplo?". 

Afinal, o que é o mal? Mediante as minhas interrogações, virei-me para trás e continuei a perceber a mamãe e sua filhinha caminhando juntas debaixo da chuva.

Entendi que há momentos para tais interrogações, assim como também há momentos de compreender o que está ocorrendo à nossa volta.

E o que estava ocorrendo à minha volta, naquele momento de chuva, ao ver aquela mamãe e sua filhinha, são feixes de amor

Sim, somente pequenos feixes de amor. Não fora somente uma lição moral, mas pedaços de amor que sua mãe dedicara-se ao ensinar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário